Tudo Sobre a Calvície ou Alopecia

Calvície

Alopecia ou calvície, na sua definição mais comum, significa a perda de cabelo. Muitas formas de alopecia feminina ou masculina incluem a perda de cabelo momentânea ou enfraquecimento do cabelo e são causadas por vários factores, incluindo a dieta, o trauma para os folículos pilosos, doença, medicações e assim por diante…

Principais tipos de calvície

Os dois mais conhecidos tipos de alopecia permanente são a alopecia areata e a alopecia androgenética. Com o diagnóstico de alopecia areata, o cabelo cai para fora nos pontos em todo o corpo. Esta forma de alopecia ocorre principalmente em homens e mulheres com idade acima de 30 anos, mas em casos extremamente raros pode afetar crianças e adolescentes.

  • Alopecia Areata: Está relacionada a fatores autoimunes e seu agravamento é influenciado pelo estado emocional da pessoa. É caracterizada pela perda acelerada, parcial ou total de pelos em uma ou mais regiões do couro cabeludo ou ainda em áreas como a barba, as sobrancelhas, púbis, etc. O renascimento dos pelos pode ocorrer em alguns meses, mas em alguns casos a doença avança, podendo atingir todo o couro cabeludo (alopecia total) ou todo o corpo (alopecia universal).
  • Alopecia Androgenética: É a causa mais comum e frequente de alopecia masculina, mas também atinge as mulheres. Começa a se manifestar entre a puberdade e a vida adulta, tendo muitos graus. Como o próprio nome diz, é uma associação de fatores genéticos com o hormônio conhecido como testosterona. Este tipo é o que a maior parte das pessoas geralmente chamam de padrão masculino de calvície ou queda de cabelo difuso e ocorre apenas na cabeça. Nos homens, a perda de cabelo ocorre gradualmente começando nas têmporas (geralmente formando um H como a linha do cabelo) e recua na “coroa do crânio”. Nas mulheres, o cabelo se torna mais fino ao redor de todo o couro cabeludo, mas dificilmente resulta em calvície total ou completa.

 

Outros tipos de Alopecia

  • Congênita: Está ligada a fatores hereditários, com ausência total ou parcial de cabelos desde o nascimento;
  • Neurótica: Também conhecida como tricotilomania, onde o indivíduo “arranca” os próprios cabelos de forma consciente ou não;
  • Traumática: Se origina através de contusões ou lesões do couro cabeludo;
  • Seborreica: É um distúrbio muito comum, onde pode se perceber a escamação, coceira e eritema, entretanto, é uma doença que dificilmente determina uma redução significativa dos cabelos;
  • Eflúvio: Também conhecida como deflúvio, é a causa mais comum de perda de cabelos entre as pessoas do sexo feminino. Consiste na quebra harmoniosa do ciclo de vida do cabelo, possuindo várias causas. Geralmente, responde muito bem aos tratamentos médicos.

Quais são as causas?

A calvície masculina pode ser causada por uma alteração genética herdada de uma substância de ocorrência natural chamada DHT. Estudos já realizados de fios de cabelos de couros cabeludos calvos e não-calvos mostraram que, com a calvície de padrão masculino, os níveis de 5-alfa-redutase e DHT no couro cabeludo são consideravelmente altos.

A 5-alfa-redutase é importante na formação de DHT e, consequentemente, níveis elevados de DHT estão associados com a calvície masculina. A ciência diz que a idade em que a calvície inicia e a velocidade do avanço dela é definida pela quantidade de genes herdados dos familiares do lado paterno, materno ou de ambos.

Ela inicia normalmente com o afinamento, encurtamento, rarefação e despigmentação gradativa dos cabelos nas regiões fronto-temporais da cabeça, aumentando com o tempo e evoluindo para a atrofia e morte dos folículos capilares, mas mantendo sempre as áreas laterais e posteriores do couro cabeludo, já que são imunes à ação do DHT.

Como identificar?

alopecia androgenética

Para fazer o diagnóstico, a pessoa deve procurar por um médico dermatologista para que esse determine se o paciente apresenta uma queda natural de cabelos ou se possui alguma “influência genética”. O médico irá proceder para o exame visual, encaminhando o paciente para um tratamento se tiver a certeza de que a pessoa possui uma queda acentuada dos cabelos.

Tipos de tratamento

Há 3 formas para tratar este problema: a forma cirúrgica, a forma clínica e a forma natural (mais recomendada).

Para conhecer a forma mais recomendada para tratar a calvície, clique aqui. Ela é a mais recomendada por ser natural, isto é, utiliza-se de alimentos específicos que são explicados detalhadamente através de um livro digital, ou seja, um e-book.

O forma de tratamento cirúrgico mais comum e mais conhecido (e mais caro) para combater a alopecia nos homens e nas mulheres é o implante capilar. As técnicas de implante ou microimplante capilar, apresentam resultados harmoniosos para casos específicos. O cirurgião dermatologista retira as unidades foliculares da região da nuca (geralmente a que possui mais cabelo do couro cabeludo) e transfere, fio por fio, para a região calva.

Já a forma de tratamento clínico faz referência aos medicamentos como a finasterida e minoxidil, que devem ser recomendados sempre por um médico especializado, como por exemplo um dermatologista a fim de o paciente iniciar o tratamento. Entretanto, há efeitos colaterais principalmente para os homens como por exemplo a perda da libido com o passar dos anos (muitos dizem que a partir dos 40 anos ou menos).

Se você preferir, pode acessar a página que fala sobre o tratamento para calvície.

 

 

 

<< Voltar para a página inicial do Segredo Capilar.